Histórico

A proposta do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical (PPGCAT) foi inicialmente discutida por profissionais qualificados, considerando a demanda pela formação de recursos humanos na área de Saúde nos Trópicos. O Programa foi credenciado em 2010 pela CAPES, com conceito 4, para atuar nos níveis de Mestrado e Doutorado, tendo iniciado suas atividades acadêmicas no primeiro semestre 2011. O PPGCAT está sediado no Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal (DMFA) da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e tem seu corpo docente formado por profissionais de alto nível com conhecimento em diferentes áreas do conhecimento, tais como Medicina Veterinária, Ciências Biológicas, Ciências Agrárias, Ciências da Saúde, Morfologia e Fisiologia Aplicada, Biomedicina, Farmácia, Oceanografia, os quais investem na formação de recursos humanos nas áreas de Doenças Tropicais, Medicina e Biologia da Conservação, Nutrição e Reprodução nos trópicos. Os docentes envolvidos têm participado ativamente de atividades correlatas à biologia e fisiopatologia de microorganismos e agentes transmissores de doenças (vetores), genética molecular, terapêutica aplicada ao controle de microorganismos, medicina e biologia da conservação, distúrbios nutricionais e reprodutivos, conservação de germoplasma, ecotoxicologia, georreferenciamento aplicado à Ciência nos Trópicos. Além da saúde animal, no contexto da medicina veterinária, cujas abordagens são amplamente difundidas no âmbito da pesquisa e pós-graduação, este Programa visa um enfoque mais abrangente de saúde e conservação da biodiversidade. Neste contexto, as interrelações homem-animal-ambiente, em condições tropicais, têm sido alvo de várias investigações, mas ainda se caracteriza como um vasto campo de estudos, especialmente relacionados com a etiopatogenia das afecções, que frequentemente são comuns ao homem e aos animais. A abordagem integral e multiprofissional do processo saúde-doença no PPGCAT,  está plenamente integrada ao conceito de “Uma Saúde” atualmente adotado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE),  Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e a Sociedade para a Conservação da Vida Selvagem (Wildlife Conservation Society - WCS) para a predição e controle de doenças na interface homem-animal-ecossistema. Considerando a complexidade do ecossistema tropical, a contribuição de conhecimentos adquiridos nas diferentes formações profissionais é de grande importância para melhor definir as estratégias de pesquisa, bem como atingir os resultados esperados. Neste contexto, há uma demanda por profissionais que atuam no setor de saúde com capacitação em nível de mestrado/doutorado. A proposta deste Programa tem sido de preencher uma lacuna existente e atender à demanda dos profissionais de áreas afins, como Medicina Veterinária e Medicina Humana, Biomedicina, Ciências Biológicas, Oceanografia, Zootecnia, e outras envolvidas com a Ciência Animal Tropical.